Os 8 maiores mitos sobre alimentação no puerpério!

Pesquisamos os 8 maiores mitos sobre alimentação no puerpério. Existem muitas crenças populares sobre a alimentação no pós-parto, o famoso puerpério.

O puerpério é popularmente conhecido como quarentena, dieta, resguardo ou pós-parto. Principalmente no que está relacionado à alimentação da mulher que acabou de parir.

Mães e avós da ex-gestante, a enchem de canja de galinha para fortalecer e canjica para dar leite. E, se na maioria dos hospitais ela ingeriu uma alimentação leve, equilibrada, mas diversificada, em casa a situação nem sempre é a mesma!

Por isso, resolvemos esclarecer TUDO!

Afinal, é quais são os 8 maiores mitos sobre alimentação no puerpério?

  1. Só posso comer canja de galinha

Mito! O ideal é ter uma alimentação balanceada e rica em nutrientes como deveria ter sido durante a gravidez. A canja de galinha é um prato rico em proteína e nutrientes, mas uma alimentação monótona com exclusividade de um prato desamina qualquer mortal!

É importante no pós-parto, que as mulheres priorizem frutas e vegetais (alimentos rico em água e antioxidantes), carnes, ovos e leite (fonte de proteína). É preciso ter uma dieta balanceada que contenha todos os grupos de alimentos, principalmente o cálcio.

A menos que haja casos específicos como alergias, não há necessidade de restringir alimentação. Contudo, deve-se evitar o consumo de álcool.

e-Book Grátis - 6 Dicas Pós-partoQuer saber como curtir mais o período pós-parto? Baixe esse e-book gratis!

 

     2. Cerveja preta aumenta o leite materno?

Mito!  Parece óbvio, mas não é. A crendice popular diz que sim! Como contém álcool, o álcool acaba passando para o bebê através do leite materno.

É possível que essa crendice tenha surgido devido ao fato de a cerveja relaxar a mulher, o que contribuiria para a produção de leite, mas, definitivamente, não é aconselhável.

Cerque-se de pessoas que lhe assegurem paz de espírito e tranquilidade que o relaxamento virá.

 

     3. E canjica, aumenta o leite?

Mito! A canjica contém leite, água, milho, açúcar. Sem dúvidas é uma fonte de energia, líquidos e vitaminas, mas não precisava ser ela, poderia ser qualquer outra fonte de energia, líquidos e vitaminas.

Não há qualquer comprovação de um alimento específico que aumente o leite, mas é necessário que a mulher receba uma quantidade suficiente de energia, líquidos e vitaminas pela alimentação. Portanto, evite dietas restritivas.

——————— capa para amamentação? A Colo de Mãe tem! Veja as opções Aqui ———————-

 

    4. Evitar frutas ácidas!

Mito! As frutas cidas são fontes de vitamina C, e muito importantes para a recuperação da mamãe.

    5. Restringir alimentos evita cólicas no bebê

Mito! Que bom seria se, para evitar as temidas cólicas, bastasse evitar o consumo de leguminosas, chocolates, repolho, leite de vaca e cebola.

Não existe comprovação que a restrição de determinado alimento evita de fato cólica no bebê. Porque os bebês não são todos iguais! Existem bebês que têm muita cólica e bebês que nunca tem cólica. Via de regra, o que faz mal para a mãe, pode fazer mal para o bebê também.

Se algum alimento provoca muitos gases na lactante, vai provocar no bebê também. Nesse caso, vale fazer um teste incluindo e excluindo alimentos para verificar a reação do bebê.

————– uso de sling diminui as cólicas e aumenta o vínculo mamãe x bebê e papai x bebê —————-

———————–       Veja os modelos       —————————

 

    6. Não pode tomar café!

Mito! Uma xícara de café no café da manhã, não vai prejudicar o seu bebê. O café contém cafeína, que causa excitação em excesso. Consumir várias xícaras de café, vai fazer você transferir cafeína para o bebê por meio do leite. Mas uma xícara de café no café da manhã, não vai prejudicar o sono da tarde ou da noite do seu bebê.

 

  7. Não pode comer carne de porco!

Depende! O maior medo aqui é de dificultar a cicatrização, o que afetaria as mulheres que tiveram cesariana ou intervenção no parto normal. No entanto, não existe comprovação científica de que a carne de porco inflame a pele e dificulte a cicatrização. Aliás, muito cortes da carne de porco são tão magros quanto a carne de frango.

Se você tem histórico de queloide, pode evitar o consumo de carne de porco, em especial dos cortes mais gordurosos. Se você não tem e não teve intervenção no seu parto, mantenha a sua dieta equilibra e com baixa ingestão de gordura optando por cortes magros.

 

   8. Amamentar emagrece?

Depende! Depende do seu consumo calórico. Amamentar ajuda sim a emagrecer, se a lactante fizer uma alimentação equilibrada e saudável consumindo de 300 a 400 calorias de alimento a mais do que estava acostuma a consumir antes.

Amamentar um bebê consome de 600 a 800 calorias por dia. É uma atividade de alto consumo calórico. Mas emagrecer está relacionado a consumir menos calorias do que você gasta. Então, extrapolar na ingestão de doces e carboidratos por estar amamentando, pode atrapalhar esse processo de emagrecimento.

————– Precisando de almofada de amamentação alta e com capa extra?  —————-

———————–       Veja os modelos       —————————

Quando se fala em alimentação no puerpério é preciso ser coerente. Equilíbrio e diversidade na alimentação vão tornar o dia da lactante muito melhor. Ouça os palpiteiros de plantão, mas informe-se para fazer o que realmente deve ser feito. Na dúvida, consulte seu médico e procure uma nutricionista.

————– Complete seu enxoval com os itens do OUTLET da Colo de Mãe. Veja as opções  —————-

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
Rolar para cima