10 erros comuns que afetam no sono do bebê

A qualidade do sono é muito importante para o desenvolvimento do bebê, assim como para a vida adulta. Uma noite bem dormida afeta diretamente no bem estar durante todo o dia, tanto que ajuda nas necessidades básicas e na disposição. Pra isso viemos sanar algumas verdades e mitos sobre o sono do bebê.

Veja os 10 erros mais comuns que afetam no sono do bebê e saiba como evitá-los:

1. Acreditar que deve “fazer o bebê dormir”

Um dos primeiros erros dos pais com relação ao sono dos bebês surge em nossas cabeças. Por algum motivo, começamos a achar que temos que “fazer o bebê dormir”, quando, na verdade, ninguém “faz”o outro dormir. Esse é um erro de postura que, geralmente, desencadeira todos os outros listados abaixo. O primeiro passo, portanto, é mudar nossa forma de pensar. Eu devo deixar meu bebê dormir quando ele precisa.

2. Não dar colo para o bebê

Uma das maiores crenças ocidentais com relação a bebês é que, se o bebê ganhar colo demais, vai “viciar”. Esse paradigma é o responsável por grande parte dos bebês que trocam o dia pela noite. Dormem bem de dia e não ganham colo. Então, à noite, choram desesperadamente e só param, no colo. Então, se você quer dormir bem à noite, capriche no colinho de dia.

3. Induzir o sono do bebê

A maioria dos pais, acaba, de uma forma ou de outra, induzindo o sono dos filhos. Seja no seio, como a mamadeira, chupeta, balanço do carrinho ou voltas de carro pela vizinhança, querem que o bebê durma de qualquer forma. com isso, a dependência da criança com relação ao indutor, é cada vez maior. Muitos bebês nem sequer cochilam durante o dia, quando as mães estão trabalhando, o que é um sofrimento enorme. Para que um bebê durma bem, é necessário que precise cada vez menos ajuda para adormecer. E não mais. Mas, isso exige muita paciência da parte dos pais.

4. Dar mamadeira para que o bebê durma por mais tempo

É um enorme equívoco achar que um bebê acorda durante a noite por causa de fome. Nos primeiros meses isso é verdade mas, dar mamadeira não vai ajudar porque o problema é o tamanho do estômago do bebê, que comporta leite suficiente para sustentá-lo por muitas horas. Então, seja o leite que for, você terá que alimentá-lo com mais frequência. Nos mais velhinhos (com mais de 5 ou 6 meses), normalmente o motivo de acordarem a cada duas horas ( ou de hora em hora) é a dependência da ajuda para dormir. Uma vez que essa é eliminada, eles vão reduzindo o número de vezes que acordam.

5. Ficar nervoso(a) com o choro ou demora

Bebês são o espelho dos pais. E, como são nossa responsabilidade e maior amor, é normal que fiquemos nervosos quando choram. Queremos que parem e vamos ficando ansiosos se o choro piora ou persiste. Muitas vezes é possível acalmar um bebê apenas mantendo-se calma(o) com ele no colo e respirando tranquilamente. Pode levar alguns minutos mas, ele vai se acalmar, imitando sua atitude. Por outro lado, se ficamos nervosos, eles captam essa sensação e ficam inseguros, chorando cada vez mais. Muitos estudos já relacionaram o choro inconsolável do bebê com os sentimentos de medo e desamparo da mãe e isso é visível nas minhas consultorias.

6. Achar que o bebê deve dormir imediatamente

Grande número dos pais fica angustiado se o bebê rola muito de um lado para outro quando colocado no berço ou na cama. Mas, quem é que dorme imediatamente? Todos nós temos, ao deitar, um tempo de relaxamento antes de adormecer. Com os bebês é assim também. Não há problema algum, a criança demorar para dormir. Aliás, se não estiver chorando, você nem precisa ficar ao seu lado esperando.

7. Correr para o lado do bebê cada vez que ele resmunga

Todos nós temos pequenos despertares durante a noite. Isso é parte normal dos nossos ciclos de sono. No entanto, a possibilidade de que o bebê acorde, costuma assustar aos pais. As babás eletrônicas com vídeo, acentuam esse cuidado e alguns equipamentos sinalizam até se a criança está respirando mais rápido. Bom, ocorre que quando a criança transita de um ciclo de sono para o outro, é comum que respire mais rápido, resmungue, chore um pouquinho e, nos mais velhos, até que sentem no berço ou cama. Mas, se os pais correm até eles, podem fazer com que despertem completamente. Sempre espere. Se seu filho abrir os olhos e começar a chorar, claro que você deve ir. Caso contrário, aguarde um pouco.

8. Não ter um “ritual”da hora de dormir

Tirar a criança diretamente da brincadeira para a cama, pode ser um grande desafio. O melhor é ter uma ordem de atividades sempre igual, que não precisa ser muito longa, mas que avisa à criança e ao seu organismo que está na hora de dormir. Normalmente bastam um banho, mamada, escovar os dentes, uma historinha e ir dormir.

9. Impedir ou controlar cochilos durante o dia

Outro campeão dos conselhos é não deixar a criança dormir durante o dia pra que ela durma bem à noite. Em crianças até 1 ano e meio, não se deve cortar os cochilos. Além de deixar a criança muito irritadiça, o fato de não dormirem de dia (principalmente à tarde), faz com que fiquem com sono mais leve e agitado, frequentemente causando mais intercorrências à noite.

10. Esperar o bebê relaxar completamente para colocá-lo na cama/berço

Além de fazer o bebê dormir, é muito comum as pessoas ficarem com o bebê no colo até que relaxe completamente. Isso faz com que a criança não veja que está dormindo no berço. Dorme aconchegada no colo e acorda sozinha no berço. Quem não ficaria assustado?

 

Para ajudar nessa fase, conheça nossos produtos da HORA DO SONO, entre naninhas, cobertores, travesseiros, bolsinha térmica.

curta e acompanhe a Colo de Mãe no facebook. Até o próximo post!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *