Medicamentos na gestação: Tudo o que você precisa saber

Durante a gestação, uma das grandes preocupações das grávidas é ficar doente e ter que utilizar algum medicamento. Por isso, fomos atrás das informações mais atualizadas para contar tudo o que você precisa saber sobre o uso de medicamentos na gestação!

Da lista da Anvisa às questões culturais

Conversamos com a farmacêutica, Paula Renata Domingues e ela nos esclareceu as principais questões que envolvem a escolha das medicações para gestantes.

De acordo com a farmacêutica, no primeiro trimestre da gestação o bebê está no período mais frágil e vulnerável aos agentes externos. Então, tudo o que a mãe tomar nesse período pode afetar gravemente a gestação. Pois a placenta divide as substâncias com o bebê. Os riscos vão desde interferir no crescimento do bebê, causar algum dano irreversível, má formação do bebê ou até aborto.

Em regra geral, para afastar qualquer malefício, a gestante não deveria tomar nenhum remédio. Mas existe uma lista que os médicos podem prescrever para a mulher grávida. Essa lista de medicamentos que podem ser usados durante a gestação é facilmente encontrada na internet. Ela é uma classificação fornecida pela Anvisa.

O grande problema dos medicamentos na gestação

Medicamentos na gestação

Para Paula, o grande problema é que a categoria A que é a categoria de medicações, que não tem nenhum risco pro feto, tem pouquíssimas medicações dentro dela. Vão ser: ácido fólico, algumas medicações para tratar hipotireoidismo e algumas vitaminas, apenas 6 itens constam nessa lista!

A grande maioria dos medicamentos que os médicos terão para receitar para as gestantes estão dentro da categoria B e C. As medicações mais comumente prescritas para gestante, são Dramim e paracetamol, que estão dentro da categoria B. Tratam-se de medicações que não tem estudos em seres humanos, mas elas já são utilizadas a muito tempo. Sabe-se, por uma questão de vivência, que os itens da lista B, não causam muitos danos para o feto.

Ou seja, quando chega uma gestante doente no consultório, os médicos vão procurar algum item desta lista B. Esta é uma lista não totalmente liberada, mas que vai ser a única saída pra ele, caso a mãe precise de algum desses medicamentos na gestação.

Auto Medicação

Segundo a farmacêutica Paula, no Brasil as pessoas se auto medicam. Elas querem ir ao médico e sair com um medicamento, mesmo estando grávidas, por uma questão cultural. O que se sabe é que muitos casos podem ser resolvidos com mudança de hábito. Em caso de náusea, a grávida tem que mudar alimentação. No caso de dores, constipação, ela pode praticar atividade física, que junto com a alimentação melhoram bastante esses desconfortos. Mas por uma questão cultural é muito difícil que o médico apenas recomende esses tipos de mudanças, sem utilizar medicação.

As listas A, B, C, D e X

Em resumo, essa lista de medicamentos para gestantes são divididas em alguns itens:

A: medicações que tem estudo e que mostram que não existe risco para o bebê com o uso dessas medicações. Estudos tanto em animais quanto em seres humanos.

B: são medicações que foram realizados estudos em animais, não houve nenhum índice de risco nos animais, e em seus filhotes, mas ainda não tem estudos em seres humanos. Então, mesmo sabendo que não tem evidência de risco em seres humanos, não existe comprovação sobre isso. Por isso, na bula dessas medicações vai constar essa informação: não existe estudo comprovando que essa medicação não faz mal para o bebê.

C: o risco não pode ser afastado, já foi testado em animal. Sabe-se que o uso dessa medicação causa alguns eventos adversos em animal, mas não tem estudos em seres humanos. E provavelmente pode ter algum risco para seres humanos.

D: existe evidência positiva de risco para o bebê, e só vai ser usada quando a mãe tiver alguma doença muito grave, ou estiver em uma situação muito difícil. Essa medicação é utilizada por uma questão de análise do risco x benefício. Quando a mãe não tem outra saída a menos que utilize essa medicação.

X: é totalmente grave, sabe-se que se a mãe utilizar essa medicação haverá um aborto ou uma má formação do bebê.

Algumas vezes será realmente necessário fazer uso de medicamentos na gestação, no entanto, sempre consulte seu médico. Evite se automedicar, principalmente se for gestante.

Agora, compartilhe suas opiniões e experiências com medicamentos na gestação deixando seus comentários abaixo e compartilhando este artigo nas redes sociais e com as pessoas com quem você se importa. 🙂


Complete seu enxoval com os itens do OUTLET da Colo de Mãe: VER AGORA

Conheça todos os produtos Colo de Mãe e acompanhe nossas redes sociais para novidades!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
Rolar para cima