Fiquei Grávida! E agora? Tudo o que você precisa saber quando o teste dá positivo!

Ficar grávida desperta nas mulheres uma porção de emoções. Felicidade, alegria, vontade de sair por ai espalhando a notícia da gravidez em todos os grupos de whatsApp e redes sociais. No entanto, também ansiedade, medo e preocupação com as mudanças que estão por vir com a saúdo do bebê. Afinal, agora você não está mais sozinha, e seu útero é o forninho que está gestando uma (ou mais) vida(s).

Quando o teste dá positivo, uma série de dúvidas sobre o que a gestante deve fazer surge. Os principais temas das pesquisas online passam a ser os relacionados aos cuidados da gestante e do bebê, dicas de compras, decoração e alimentação. Novas pastas no Pinterest são criadas:

  • quarto de bebê ou
  • decoração de bebê porém
  • enxoval do bebê  ou
  • bebês fofos
  • mala de maternidade
  • alimentação para gestante
  • dicas de amamentação
  • roupas de bebê
  • chá de bebê
  • lembrancinha de maternidade
  • roupa de gestante ou
  • look gestante
  • mamãe moderna
  • nomes de bebês

A mente funciona a milhão, os pensamentos voam, mas as mudanças estão apenas começando e muita novidade está por vir. Pensando nisso, reunimos uma série de informações sobre os primeiros passos para a gestante quando ela tem o seu sonhado POSITIVO (às vezes inesperado também)!

Enfim, você fez o teste de farmácia e deu positivo! E agora? O que será que te espera nos próximos meses?

Para ajudar você que está nesse ponto da gravidez que fizemos esse post com um guia simples e objetivo dos primeiros passos da gestante após descobrir que está grávida.

Principais dicas e recomendações

 

Encontrar um ginecologista obstetra

Feito o teste de farmácia, os médicos pedem o exame de sangue para comprovar a gravidez e calcular a idade gestacional. Pesquise no seu convênio, veja com seu atual ginecologista ou peça indicações a pessoas de sua confiança de profissionais para você escolher e iniciar seu pré-natal.

Uma característica que seu médico precisa ter é disponibilidade, não só para agendar a primeira consulta, mas também para atendê-la por telefone ou whatsApp em caso de emergências. Se você tem um médico que não consegue encaixes, nunca atende sua ligação ou tem aquelas agendas super lotadas com fila de espera de 3 meses. Talvez seja o caso de repensar. Você precisa ter confiança no profissional que vai fazer o seu pré-natal, afinal, é ele que vai te orientar e esclarecer todas as suas dúvidas sobre a gestação, a sua saúde e a do bebê. E também precisa de apoio caso emergências aconteçam aos finais de semana, no meio da noite ou em feriados.

Escolhido esse profissional e agendada a consulta, você precisa ter anotado a data do primeiro dia da última menstruação. É a partir dessa data que o médico vai calcular a DPP (data provável do parto). Caso tenha dúvidas, ou elas surjam até a consulta, vá anotando para esclarecê-las já na primeira consulta.

 

Realizar os primeiros exames

A sua primeira consulta, o médico irá fazer muitas perguntas, sobre você, sobre seu histórico de saúde, sobre seus familiares e seu companheiro. Caso você não saiba nada sobre o histórico dos seus pais e irmãos, não custa pesquisar no grupo do whatsApp mesmo: pergunte sobre pressão arterial, diabetes, problemas cardíacos, casos de gêmeos na família, coisas assim.

Independente das suas respostas, você vai sair da consulta com muitas guias de exames, e são muitos exames mesmo! O objetivo desses exames é avaliar a sua saúde geral para prever se há algum risco particular para a evolução da gravidez, se você precisará de um acompanhamento especial. Entre os exames obrigatórios e comuns estão o Beta HCG e a primeira ultrassonografia.

Beta HCG:

Esse é o exame que confirma a gravidez. Esse exame de sangue pode ser realizado já no 1º dia de atraso da menstruação. Ele pode ser qualitativo ou quantitativo. No primeiro caso ele só identifica ou não a presença do hormônio da gravidez no sangue da mulher, seu resultado é positivo ou negativo. Já o exame quantitativo fornece a quantidade do hormônio no sangue da mulher.

Com esse dado, somado à informação da data da última menstruação, é possível saber se a gravidez está evoluindo dentro do esperado e de quantas semanas a mulher está. Em caso de um número muito alto para o início da gravidez, pode ser até um indicativo de gravidez de múltiplos.

Se a consulta médica for muito longe para a sua ansiedade, vale a pena fazer já o exame do Beta HCG qualitativo para chegar na primeira consulta com essa informação. Veja se seu médico fornece a guia para fazer por meio do convênio ou caso queira pagar esse exame custa em torno de R$70,00 (valores de 2019 em Curitiba/PR).

1ª ultrassonografia transvaginal:

Você vai sair da primeira consulta médica ansiosa para ouvir o coraçãozinho do bebê. No entanto, se você conseguiu a consulta antes da 6ª semana de gestação, você terá que segurar a ansiedade e  esperar mais um pouquinho. A 1ª ultrassonografia é realizada entre a 6ª e a 8ª semana gestacional (contando a partir do primeiro dia da última menstruação).

Como o bebê ainda é muito pequenininho, ela é feita via transvaginal, como o exame ginecológico comum. Nesse exame, o médico vai visualizar o embrião, o saco gestacional e a presença de batimentos cardíacos do embrião. Também será confirmada a idade gestacional, a DPP, a quantidade de embriões (confirmando ou não uma gravidez gemelar). O médico observa os ovários, o colo do útero e avalia se o embrião está implantado no local correto, o útero, descartando uma gravidez ectópica (implantação do embrião nas trompas uterinas ou nos ovários). E segure seu coração porque é nesse exame que você ouvirá os batimentos cardíacos do bebê, rápidos e fortes.

Os outros exames de sangue solicitados:

São exames para identificar anemia, presença de doenças sexualmente transmissíveis ou infecciosas. São eles: tipo sanguíneo, fator Rh, hemograma completo, glicemia de jejum, TSH e T4 livre, urina, sorologias para HIV, VDRL, hepatite B e C, rubéola, toxoplasmose, citomegalovírus entre outros.

Ingerir de remédios e vitaminas

Agora que você sabe que está grávida, evite qualquer remédio sem orientação médica. Nem remédios para cólica, dor de cabeça, muito menos antialérgicos, antibióticos e anti-inflamatórios. Se quiser saber mais sobre medicamentos na gravidez, temos um post sobre esse assunto no nosso blog: Medicamentos na gestação: Tudo o que você precisa saber

Se você tiver planejado a gravidez, provavelmente você consultou um médico antes de tentar engravidar e ele receitou ácido fólico. A recomendação médica é que o ácido fólico seja ingerido uns 3 meses antes da gravidez,. Isso porque o ácido fólico participa da formação neural do feto. Se você não tomou ácido fólico antes do seu positivo, pode iniciar, mesmo antes da consulta médica.

Quem não tomou ácido fólico não precisa se desesperar. Hoje, no Brasil, as farinhas são enriquecidas essa vitamina. Além do que, o ácido fólico também está presente nos alimento ricos em folato. Esses alimentos são: todas as folhas verdes escuras, como espinafre, brócolis, couve, alface e salsa.

O Ômega 3 também é indicado para a mulher, ainda quando é tentante (mulher que está tentando engravidar), pois melhora a membrana que reveste o óvulo e facilita a fertilização. Durante a gravidez, atua na formação das membranas celulares do sistema nervoso do bebê. Estudos sugerem que a gestante que ingere ômega 3 gere um bebê com 30% de QI a mais na primeira infância. Além disso, o ômega 3 diminui o risco de partos prematuros de origem espontânea. Ele pode ser suplementado, mas está presente na sardinha, no arenque, no salmão, no atum, nas nozes, nas sementes de chia e linhaça e nas algas marinhas.

 

Cuidar da alimentação

O hormônio da gravidez causa enjoo e náuseas nos primeiros três meses da gestação na maior parte das gestantes. Apesar dos enjoos dificultarem a alimentação no início da gravidez, a alimentação adequada pode ajudar muito na diminuição desses sintomas.

Recomenda-se que a gestante, consuma muitas frutas, verduras e leguminosas. Mais importante que a quantidade, é a qualidade da alimentação. Evite alimentos pesados e refeições em grandes quantidades. Lembre-se que o fato de estar gestando não permite que você “coma por dois”. Essa crendice popular é um mito. Na verdade, a gestante precisa aumentar a alimentação em 250 a 300 calorias diárias.

Para reduzir os enjoos, coma gengibre e limão, pois eles estimulam a substâncias básicas do estômago e da vitamina B6. Também opte por aumentar o número das refeições e diminuir as quantidades. Para melhorar o enjoo matinal, evite excessos de liquido pela manhã, opte por começar o dia com a ingestão de sólidos, como uma fruta.

Ingerir fibras

Capriche na ingestão de água e fibras, os hormônios da gravidez deixam o intestino mais lento. Beba pelo menos dois litros de água por dia. Prefira carboidratos integrais, como pães integrais ou com grãos, arroz e macarrão integral, aveia, entre outros. Coma de 4 a 5 porções de frutas e capriche na ingestão de legumes e verduras, principalmente as mais escuras. Se você costuma almoçar em restaurantes, evite as versões de folhas e legumes cruas. Nesse caso, opte pelas versões cozidas para evitar contaminação por bactérias. Consuma também carnes magras, peixes, consuma os que são ricos em ômega 3. Consuma também castanhas, sementes; além de leite e derivados como iogurtes e queijos devido às vitaminas e proteínas presentes nesses alimentos.

Evitar doces, carnes, peixe e ovo cru

Não consuma excessos de doces, carnes, peixes e ovos crus. Os doces podem contribuir para o desenvolvimento da diabetes gestacional e aumento de peso na gravidez, além de deixar o feto mais ativo. O excesso de peso materno pode gerar um bebê resistente à insulina e transmitir o gene da obesidade para ele. Já as carnes, peixes e ovos crus costumam ser proibidos para as grávidas devido ao risco da gestante infectar-se com a salmonella. A salmonella é uma bactéria que causa intoxicação alimentar que se manifesta com vômitos e diarreia. A desidratação da gestante é algo muito preocupante, pois atinge diretamente o bebê.

Se for muito difícil para você consumir esses alimentos, pense que é só por um período. Lembre-se que bebê precisa de todos os nutrientes, vitaminas e minerais para se desenvolver de forma saudável. Se for possível, consulte uma nutricionista para fazer o seu acompanhamento de ganho de peso e adequação da alimentação.

 

Elimine drogas, cigarro e bebida alcoólica. Restrinja cafeína

O consumo de drogas ilícitas deve ser suspenso, pois afeta a gestante e o bebê em todas as etapas da gravidez. Elas contribuem para retardo intelectual do bebê e má formação do feto, alterações no desenvolvimento psicoafetivo, além de causar abortos.

O cigarro, o álcool e a cafeína também são inimigos da gestação. O fumo aumenta o risco de abortos espontâneos e pratos prematuros. ele também é responsável por comprometer o crescimento do bebê. Converse com o seu médico e veja como reduzir ao máximo o fumo para evitar danos ao bebê. Caso esteja pensando em engravidar, comece por aqui: você e seu parceiro podem iniciar essa nova etapa largando o cigarro.

Por sua vez, o álcool pode causar malformações do feto, aborto, complicações na gestação e no parto. Além disso, estudos indicam que o álcool também é responsável por causar distúrbios neurológicos, tais como hiperatividade, irritabilidade e sintomas de abstinência após o nascimento.

Já a cafeína, presente no café e em alguns chás deve ter seu consumo reduzido, pois em excesso, também acentua o risco de aborto. O indicado é a ingestão de até duas xícaras de café por dia. Se você tem o hábito de consumir muita cafeína, tente reduzir.

 

Fazer atividades físicas

Com exceção da caminhada, até a primeira consulta, suspenda as atividades físicas moderadas e intensas. A atividade física faz bem para a gestante e para o bebê, pois além de ser responsável pela sensação de bem-estar. Além disso, auxilia na diminuição do inchaço, reduz o risco de diabetes e hipertensão gestacional. A ativiade física também ajuda a gestante a controlar o peso.

Com a consulta realizada, a avaliação do seu estado de saúde e os resultados dos exames, o médico vai liberá-la ou não, para atividades físicas moderadas e/ou intensas. De antemão, saiba que lutas, equitação e escalada estão proibidos, devido ao risco de quedas e impacto.

Alongamento, yoga, pilates, natação, hidroginástica são excelentes opções  de baixo impacto para a gestante, pois fortalecem a musculatura, dão energia, evitam o sedentarismo. Tudo isso será fundamental na hora do parto e auxilia muito para uma gravidez saudável, já que melhoram a vascularização do organismo.

 

Tratamentos de beleza e estéticos

Fazer unha e passar esmaltes não oferecem risco ao bebê. No entanto, use o seu próprio equipamento ou vá a salões que tem equipamentos esterilizados. Alicates e outros materiais contaminados podem transmitir o vírus da hepatite.

Já tinturas e químicas fortes devem ser evitadas. Converse com seu médico e veja o que é possível fazer. Ele vai te orientar da melhor maneira possível. Evite cortar o cabelo no mesmo horário em que esses procedimentos químicos estão sendo realizados no salão que você frequenta. Isso porque, só o fato de estar presente no mesmo ambiente em que um alisamento progressivo está sendo realizado pode causar mal para o seu bebê.

Outros tratamentos estéticos, como o uso de ácidos para pele ou cremes com propriedades estimulantes, devem ter o uso suspenso, a menos que seu médico libere.

 

Descansar

O cansaço é um sintoma que está presente na gravidez, em especial no 1º e no 3º trimestre. No primeiro trimestre o excesso de hormônios causa muito sono. Além disso a náusea e os vômitos abalam a sensação de bem estar da gestante. Já no final da gravidez, o cansaço se deve ao peso da barriga, a pressão na coluna, às noites mal dormidas por falta de posição ou devido às frequentes idas ao banheiro.

Sendo assim, sempre que tiver oportunidade, descanse. Coloque as pernas para cima, faça drenagens linfáticas (com liberação do seu médico), durma. Todas essas mudanças que estão acontecendo no seu corpo são muito significativas. Afinal, além de dar conta de você, seu organismo se transformou em uma linda fábrica e está preparando o seu(s) bebê(s). Esqueça o orgulho e aceite ajuda, permita-se ser cuidada, em pouco tempo você está sobrecarregada, amamentando e cuidado do seu(s) filho(s). ou ou ou

 

Evite situações estressantes, cuide-se e curta cada momento. Ainda tem dúvidas? Deixe aqui nos comentários.

Quer receber mais informações como estas no decorrer da sua gravidez? Inscreva-se no nosso Guia da Gestante da Colo de Mãe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

0
Rolar para cima